" Os monstros existem. Os fantasmas também. Eles vivem dentro de nós e ás vezes eles ganham ". Stephen King


UM CORAÇÃO SOLITÁRIO PERDIDO EM MEIO AO CAOS.....NÃO REPARE A BAGUNÇA...

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

MUDE


Mude.
Mas comece devagar,
porque a direção é mais importante que a velocidade.
Sente-se em outra cadeira, no outro lado da mesa.
Mais tarde, mude de mesa.
Quando sair, procure andar pelo outro lado da rua.
Depois, mude de caminho, ande por outras ruas,
calmamente,
observando com atenção os lugares por onde você
passa.
Tome outros ônibus.
Mude por uns tempos o estilo das roupas.
Dê os teus sapatos velhos
Procure andar descalço
alguns dias.


Tire uma tarde inteira pra passear livremente na
praia, ou no parque,
e ouvir o canto dos passarinhos.

Veja o mundo de outras perspectivas.
Abra e feche as gavetas e portas com a mão esquerda.
Durma do outro lado da cama...
depois, procure dormir em outras camas.
Assista a outros programas de TV, compre outros
jornais... leia outros livros.
Viva outros romances.
Não faça do hábito um estilo de vida.
Ame a novidade.
Durma mais tarde. Durma mais cedo.
Aprenda uma palavra nova por dia numa outra língua.
Corrija a postura.
Coma um pouco menos, escolha comidas diferentes,
novos temperos, novas cores, novas delícias.
Tente o novo todo dia,
o novo lado, o novo método, o novo sabor, o novo
jeito, o novo prazer, o novo amor, a nova vida.



Tente.
Busque novos amigos.
Tente novos amores.
Faça novas relações.
Almoce em outros locais, vá a outros restaurantes,
tome outro tipo de bebida, compre pão em outra
padaria.
Almoce mais cedo, jante mais tarde ou vice-versa.
Escolha outro mercado... outra marca de sabonete,
outro creme dental...
tome banho em novos horários.
Use canetas de outras cores
Vá passear em outros lugares.
Ame muito, cada vez mais, de modos diferentes.
Troque de bolsa, de carteira, de malas,
troque de carro, compre novos óculos, escrevas outras
poesias.
Jogue fora os velhos relógios,
quebre delicadamente esses horrorosos despertadores.
Abra conta em outro banco.
Vá a outros cinemas, outros cabeleireiros, outros
teatros, visite novos museus.
Mude.Lembre-se que a vida é uma só.



E pense seriamente em arrumar um novo emprego,
uma nova ocupação, um trabalho mais light, mais
prazeroso,
mais digno, mais humano.
Se você não encontrar razões para ser livre,
invente-as.
Seja criativo.
E aproveite para fazer uma viagem despretensiosa,
longa,
se possível sem destino.
Experimente coisas novas.
Troque novamente.
Experimente outra vez.
Você certamente conhecerá coisas melhores
e coisas piores do que as já conhecidas.
Mas não é isso o que importa.
O mais importante é a mudança, o movimento, o dinamismo, a energia.
Só o que está morto não muda!
Mude, de novo.


Edson Marques

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

14° DIA DO DESAFIO

UMA IMAGEM DE ALGUÉM COM O CABELO PARECIDO COM O TEU.

Pensei em postar uma foto do meu cabelo mesmo, mas se a intenção é postar uma com algo parecido, o que eu achei mais próximo, foi esse cabelo da Gabriela Duarte.


Anica Gonçalves

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

13° DIA DO DESAFIO

UMA CARTA PARA ALGUÉM QUE TE FERIU RECENTEMENTE

Não dou a ninguém a obrigação de me fazer feliz, nem o direito de me entristecer. A unica pessoa capaz de me trazer felicidade e sofrimento, sou eu mesma. 
Portanto, essas linhas são para a pessoa que melhor conhece minhas dores.

Você deveria ter acordado bem humorada, todas as manhãs que pensou em assim fazer.
Deveria ter parado de relembrar momentos desnecessários e seguir em frente como disse que faria.
Precisaria ter confiado menos nas pessoas, mas essa sua inocente burrice não permitiu.

Você me fere, silenciosamente todos os dias.
Me magoa cada vez que pensa em mudar e não muda nada. 
Me deixa triste quando consegue ter pensamentos positivos durante uma semana, e por uma coisa banal, desaba meses na depressão.
Me sinto mal quando você mente, na maioria das vezes se fantasiando de feliz, quando na verdade seu coração chora.
Eu sofro porque eu sei que você quer melhorar, mas não sabe como, sabe que irá conseguir, mas não sabe quando.
Não desista.
Eu acredito em você. Embora as vezes pareça que sou meio desistente, nunca duvide, eu tenho muita fé em você.
E você não precisa de mais ninguém, além de você mesmo para dar o primeiro passo.

Fique de pé. Posicione o pé direito e siga....


Anica Gonçalves

terça-feira, 27 de novembro de 2012

12° DIA DO DESAFIO

COMO DESCOBRISTE A BLOGOSFERA E PORQUE CRIASTE O BLOG?

Descobri a blogosfera sem querer, lendo poesia pela internet, fui conhecendo e seguindo alguns blogs. 
Como sempre gostei de escrever, depois de um bom tempo relutando a expor para todos aquilo que eu sentia e pensava, pois me dava um pouco de medo, resolvi criar meu próprio canto. Esse canto aqui, nascido de uma inspiração passageira (ou não). 
Um canto meio bagunçado, as vezes sem nexo algum, tal qual meu coração.

Anica Gonçalves

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

SONHOS

"Eu estava dormindo e me acordaram.
E me encontrei, assim, num mundo estranho e louco...
E quando eu começava a compreendê-lo um pouco,
já eram horas de dormir de novo.



Mário Quintana

sábado, 24 de novembro de 2012

VIAJAR

Viajar é uma catarse, um momento de rompimento psicanalítico, se você vai para longe e sozinho. 
A viagem é um lugar de 
meditação e conforto. 
Sem referência de língua, religião, 
você vive a verdadeira viagem solitária para dentro de você mesmo.


Antonio Tabucchi

ACEITAR A SOLIDÃO...

A solidão é uma das nossas características existenciais. 
Aceitar isso talvez seja o primeiro passo para relacionamentos amorosos mais ricos e criativos, longe da expectativa de que o outro nos livre da condição de seres solitários.


Flávio Gikovate

terça-feira, 20 de novembro de 2012

domingo, 18 de novembro de 2012

APENAS AS BOAS LEMBRANÇAS


Enquanto eu revirava meus papéis antigos e por fim decidia joga-los fora depois de muitos anos relutando, me dei conta, ao começar a rasga-los, como fazemos certas coisas com a nossa vida que são exatamente iguais aos papéis que guardamos.

Abrimos nosso bau de memórias infinitas vezes, separamos velhas lembranças, revivemo-nas e as guardamos novamente.
Assim acontece, com as memórias ruins também, não as trazemos para fora, nem sequer chegamos a toca-las, apenas as deixamos lá, sabendo que um dia iremos nos livrar delas, mas nunca nos livramos.

Deixamos-as escondidas, acreditando que são intocáveis, até que um dia, alguém resolve abrir o nosso bau, sem a nossa permissão, revira todas as nossas lembranças e as mistura causando uma desorganização absurda nos nossos sentimentos contidos.

E ai, por uma façanha do destino, resolvemos, de uma vez por todas, joga-las no lixo.
Seria mais fácil, se elas fossem como papel, rasgaríamos e elas se partiriam para sempre.
Mas vai muito além disso.

E o que importa, é que possamos em algum ponto da nossa vida, abrir nosso bau, retirar as velhas
lembranças estragadas, encara-las uma por uma, e depois atira-las na fogueira.
As cinzas ainda vão ficar lá por um tempo, mas depois desaparecerão, e só teremos espaço para aquilo que queremos reviver.


Anica Gonçalves